quinta-feira, 1 de julho de 2010

Porque é que não gosto do Queiroz – Parte dois

Bem sei que nesta altura como qualquer treinador de bancada que se preze, todos sabemos exactamente o que deveria ter sido feito para que a nossa presença no Mundial fosse coroada de êxito.
Eu julgo que perdemos com a Espanha porque eles são melhores e ponto final. Por isso já nem falo da substituição do Hugo Almeida, da utilização do Pepe e do Ricardo Costa, do Simão ter ficado em campo quando não “dava uma para a caixa” e por aí a fora.

Mas julgo que ficou uma mão cheia de questões que valia a pena pedir explicações. …com os diabos afinal o Homem até ganha mais 16 vezes do que o Presidente da Republica e ninguém lhe pede responsabilidades?

O que se passou com o Nani? E a novela do Deco?…e os “desabafos” no final do jogo, e o ridículo das queixas de arbitragem.
Mas também, no final do jogo com a Costa do Marfim, quem pergunta aos emigrantes se não ficaram orgulhosos com a exibição da Selecção, acho que está tudo dito.

Como escrevia hoje no Record o Bernardino Ribeiro também temos o nosso Domenech mas como somos um País de brandos costumes vamos fazer de conta que está tudo bem e vamos ter que “gramar” com aquela espécie de treinador por mais dois anos.
E mais não digo para não correr o risco de me acontecer o mesmo que ao Jorge Batista.

(Cartoon de Henrique Monteiro)

3 comentários:

Anónimo disse...

Caro Zé, assino o teu comentário sem controvérsias. Tudo muito bem claro, pois cego é aquele que não quer ver a realidade. Com a crise que vai por aí qualquer treinador de bancada fazia o que este Queiróz fêz e sempre se poupavam milhões. Se uns são obrigados a pagar a crise para estes senhores o dinheiro abunda em doses industriais. Depois digam que os estádios estão vazios. Onde está a motivação para o Zé Povinho pagante ?
José A.R. Louro

Alfredo disse...

Parece-me que os casos Nani e Deco ultrapassam Queiroz. Vão mais além. Um intocável... será?
A.Justiça

Luis Eme disse...

nem mais...