domingo, 8 de fevereiro de 2009

Caldas intemporal XIX – Praça Cinco de Outubro



Já num “post” anterior referi que a Praça 5 de Outubro foi dos locais das Caldas que maiores transformações sofreu.
Da velha Praça do Peixe já nada resta. Esta conta agora com um parque de estacionamento subterrâneo de 2 pisos enquanto à superfície, alguns bares enchem a noite de animação. Durante o dia é um ponto de encontro principalmente para os alunos da ESAD – Escola de Artes.
O que se mantém são os lindíssimos edifícios no topo - pena que o que outrora serviu de Escola primária esteja num estado de abandono que mete dó.
Este friso de azulejos com dragões, encontra-se no topo do edifício, que foi a Escola Primária, e que é revestido em grande parte por azulejos rectangulares de vidrado verde, com origem da Fábrica de Sacavém.

3 comentários:

João Ramos Franco disse...

Foi 1950/51, (á dois dias) que fiz lá a minha 3ª Calasse!... Que bom seria se tivesse sido…
Um abraço amigo
João Ramos Franco

Artur R Gonçalves disse...

O velho casario tem sabido resistir bem ao tempo e às diversos cenários que têm sido montados na Praça. A animação diurna que o mercado de peixe oferecia foi substituído pela animação nocturna dos bares, provavelmente mais adequada às solicitações dos nossos dias. E a velha escola primária que frequentei na minha terceira classe, no início década de 60, lá continua a olhar para todas estas transformações, para a sua própria decadência, como velha senhora em quem muito poucos ainda reparam, mas que teima em manter-se de pé, como as árvores.

Anónimo disse...

Grandes recordações guarda aquele edifício.Quase toda a geração caldense de rapazes dos anos 50/60passou por lá durante a instrução primária.Ali,todos ainda nos sentávamos nos mesmos bancos e aprendiamos pelos mesmos livros.só depois o ERO a Bordallo Pinheiro e para outros o trabalho, hoje chamado infantil separou toda a gente.A mim, calhou-me o trabalho aos 10 anos , por isso todos os meus amigos de escola vêem dos bancos e das salas daquele edifício e das brincadeiras na praça do peixe.Se o n/ presidente fosse caldense certamente tambem lá teria aprendido a ler e talvez hoje o edificio tivesse outro olhar por parte dos nossos responsáveis autarquicos.
guilherme.