sábado, 23 de abril de 2016

“25 de Abril sempre”…Pois claro

Esta fotografia que tirei junto de um belo mural em Arraiolos serve para ilustrar a minha comemoração do 25 de Abril, embora como diz o poeta


Abril morreu
Hoje os cravos são sintéticos como a liberdade
A malta não tem memória
Esqueceu a história e não vai em revoluções
O povo, Zeca, já não ordena
O povo esqueceu a fraternidade!

Para mim e para os da minha geração, fica a satisfação de termos sido actores e não meros figurantes da mais bela peça da história deste País.

Sem comentários: