domingo, 26 de maio de 2013

As Caldas desaparecidas

Do blog dos Antigos Alunos da Escola Rafael Bordalo Pinheiro ( www.alunosbordalo.blogspot.com ) transcrevo parte de um texto que o meu amigo Olhanense (Olhanense de residência, Caldense de coração), Fernando Santos me enviou.

…Tenho saudades dos companheiros de escola, da amizade dos vizinhos, do convívio entre as famílias que ao domingo frequentavam os cafés da nossa cidade. Tenho saudades do Invicta, do Central, do Bocage, do Lusitano, e da esplanada do Parque na época de verão. Tenho saudades do “picadeiro” no Parque durante o verão e na Praça da Fruta aos Domingos no inverno após a saída das matinés. Tenho saudades do Pinheiro Chagas e do Salão Ibéria. Tenho saudades dos barcos do Lago e da Banda Comércio e Indústria no Coreto do Parque. Tenho saudades daqueles domingos de verão, a viajar como “sardinha em lata” nas camionetas dos Capristanos para a Foz do Arelho, ou no comboio, para Salir e S. Martinho do Porto. Tenho saudades dos bailes no Lisbonense e das verbenas dos Santos Populares do Bairro da Ponte. Tenho saudades da Feira do 15 de Agosto no Borlão. Do Carrossel “A Selva” (uma voltinha para a menina Carolina, outra voltareta para a menina Julieta ou outra voltarela para a menina Gabriela) das pistas de automóveis elétricos, dos Circos Mariano e  Arriola Paramés e do Poço da Morte. Tenho saudades das Festas de Tornada, da Serra do Bouro, do Campo, do Imaginário, da Senhora da Luz, do Santo Antão de Óbidos, da Foz do Arelho, e do Nadadouro, onde o padre só permitia danças de homens com homens e mulheres com mulheres porque o Coreto onde tocava a música estava situado em frente da Igreja! Parece anedota mas não é, porque eu estive lá e vi. Tenho saudades do C.C.C Clube Cénico Caldense e do Sporting Clube das Caldas. Tenho saudades dos acampamentos no Pinhal da Foz, e nas Dunas de Salir ou S. Martinho do Porto Tenho saudades dos bailes de garagem e de aniversário em casa de amigos, onde se dançava  ao som dum gira-discos de 33 r.p.m. Tenho saudades daquele verão em que um grupo de moças da Foz organizou quatro ou cinco bailes em garagens emprestadas. Garagens cujas portas foram sucessivamente apedrejadas pelos rapazes da Foz, até ao dia (neste caso a noite), em que o baile terminou com uma cena de pancadaria, ficando a "malta" das Caldas muito mal no "filme"! Aquele final de verão ficou para a história!

Por isso, e por muito mais, ainda hoje tenho saudades das raparigas da Foz. Quando por lá passo, é com alguma nostalgia que os meus olhos se fixam naquela casa de cor azul bastante desbotado.
Era naquela casa que morava  a Gabriela!
Tenho saudades! Tenho saudades! Tenho saudades!

Fernando Santos

2 comentários:

MaximinoMartins disse...

Essa parte direita da foto, não é onde agora está mais ou menos localizado o "Bairro Azul"...?
Eh pá...graças a Deus, já estou mesmo muito velho...!!

abraço amigo Zé...

Fernando Santos. disse...

Não estás nada velho pá! Tens toda a razão, e a fotografia deve ter sido tirada de cima dos silos do trigo.
Abraço para todos.