terça-feira, 27 de outubro de 2009

Elas andam aí

Halloween é o nome que os países anglo-saxónicos dão ao Dia das Bruxas.
Culturalmente esta foi sempre uma data que nos passou ao lado, mas mesmo assim a “malta” do Comércio das Caldas, no sentido de dar alguma animação à cidade, meteu mãos à obra e como se pode ver pelas fotos, imaginação é coisa que não falta.
Pessoalmente tenho apoiado estes projectos de corpo e alma porque defendo que esta é única saída para revitalizar o comércio de rua, não sei se isto se vai traduzir em aumento de vendas, mas que é uma mais valia para a cidade, disto não restam dúvidas.
A “Exposição” irá estar na rua até ao próximo Sábado, venham ao centro da cidade dar uma espreitadela.

5 comentários:

Isabel Castanheira disse...

Caldas terra das malandrices e das bruxas!
Serão malandrices enbruxadas ou
bruxas malandrecas?
A visão nocturna pode ser vista no Cavacos das Caldas
Um abraço da vizinha bruxa do quarteirão de cima,
Isabel

Teresap disse...

Acho muito bem! Elas, as bruxas, também deram uma saltada ao Bairro Azul.

Artur R. Gonçalves disse...

Quando era criança e ainda vivia nas CdR, mandava a tradição que durante toda a manhã do «dia de todos-os-santos» saísse com um bando de amigos da mesma idade a pedir o «pão-por-deus». Íamos munidos de um «saco-de-pano» para recolher as oferendas que os vizinhos sempre davam. Castanhas, nozes, bolos secos, fruta da época, passas e pinhões. Era uma festa. Depois cresci, mudei de paragens e nunca mais ouvi falar na festa do dia 1 de Novembro. Deduzi que esse costume fosse típico da Estremadura e não pensei mais no assunto. Recordo-me que por essa altura também havia o costume de talhar umas abóboras em forma de velha desdentada ou «bruxa». Cheguei a ajudar a minha avó a fazer algumas e a colocar uma vela acesa no interior. O efeito à noite era muito sugestivo. De qualquer modo, as minhas memórias infantis não associam essas duas actividades a um mesmo dia. Poderei estar enganado. Nunca participei nessas festividades do « Halloween», porque são relativamente recentes entre nós. Podem ser muito importantes para a reanimação do comércio de rua, mas fazem-me sentir estranhamente num país que não se diferencia dos outros em nada. Qualquer dia até já só vamos aos grandes centros comerciais para sermos iguais aos nossos mentores anglo-saxónicos inventores dos «dia das bruxas». Em tempos havia por aí o hábito de fazer um concurso de montras. Será que essa tradição tão caldense conseguiu resistir às tentações da «aldeia global»?

gaivota disse...

elas 'andem' aí, ah pois 'andem'!!!
e o dia delas é constante...
mas agora estas são outras!
mas e a tradição, dos antigamentes, em que íamos com um saco de pano ao "pão por Deus"...
nalgumas aldeias ainda se mantém, é bom recordar e manteressasoutras vivências

kaldinhas disse...

Olá, cheguei até aqui por uma amiga que temos em comum.A Gabriela Pino.Fiquei encantada,com o blog,com as fotos no site.Sou caldense,ou melhor,nasci e cresci na Lagoa Parceira.Acredito que conheças.Muitos parabéns pelo trabalho.Até tutos de PSP tens.Parabéns e continua.Fiquei a saber por aqui q a nossa cidade está "embruxada".Ainda n tinha visto.Obrigada por mostrares.Beijinhos