domingo, 5 de dezembro de 2021

Solidariedade aos Benfiquistas.

Numa semana em que os meus amigos benfiquistas estão a passar por um mau momento, eu como um Sportinguista dos quatro costados, quero mostrar a minha solidariedade, e para que não digam que não estou de boa fé, recorrendo às minhas colecções, aqui deixo esta magnifica equipa do “glorioso” do ano de 1977/78.
Curioso que nesta altura os jogadores não valiam um “saco de notas”, mas jogavam que se fartavam.
…Ah e já agora na próxima Quarta feira ganhem lá aos “ceguinhos” do Dinamo de Kiev.   




sábado, 27 de novembro de 2021

Mais um estabelecimento comercial que fecha

Quase sessenta anos depois da sua abertura, a CASA DAS CANETAS, na Rua Capitão Filipe de Sousa, encerra a sua actividade.
Falar da Casa das Canetas é falar de um homem muito activo, ou como hoje se diz um empresário empreendedor, Luis Paulo teve um restaurante em Alenquer, depois trocou de ramo e começou uma nova actividade comercial com um estabelecimento na Malveira e posteriormente na Ericeira. Na época vendia também em feiras e mercados artigos de quinquilharias, capelista, bijuterias e óculos.
Porém, como passava frequentemente pelas Caldas nas suas visitas ao pai que era veterinário em Leiria, ficou-lhe a “paixão” pelas Caldas onde viria a estabelecer-se na Rua Capitão Filipe de Sousa em 13 de Outubro de 1963, com a conhecida “Casa das Canetas”.
Em 1980, Luis Paulo com 53 Anos morre quando ainda tinha muito para dar ao comércio Caldense, a sua esposa fica durante dois anos à frente do negócio, e em 1984 a Fernanda Paulo assume a gerência, onde se manteve até ao encerramento.
A vida das casas comerciais tem os seus ciclos e este chegou ao fim, um grande abraço para a Fernanda Paulo, com votos de muita saúde para gozar a merecida reforma.

segunda-feira, 15 de novembro de 2021

Iluminações de Natal

As iluminações aí estão para anunciar esta quadra fantástica. Muitos dirão que isto são ideias de uma sociedade que procura o consumo desenfreado, mas filosofias à parte é também nesta época do ano que as famílias estão mais próximas, e Caldas da Rainha fica mais bonita.
Que seja uma quadra feliz para todos, assim o vírus nos dê algum descanso.












sexta-feira, 12 de novembro de 2021

Parabéns ACCCRO

Há 119 anos Rafael Bordalo Pinheiro presidiu a uma reunião no Hotel da Copa para aprovar os estatutos da Associação Comercial e Industrial.
De lá até aos nossos dias esta Associação tem tido altos e baixos, mas sempre com uma acção ininterrupta o que a torna na décima Associação Empresarial mais antiga do País.
É, pois, esta Associação, com mais de um seculo de história, que quer tomar parte no desenvolvimento da cidade, propondo, reclamando, mas também compartilhando tarefas e responsabilidades.
Como em qualquer associação não é fácil a sua gestão, e eu sei do que falo porque já lá passei 6 anos, por isso neste dia de aniversário, presto aqui a minha homenagem a todos os que contribuíram com o seu esforço para que ao longo dos anos esta Associação tenha mantido uma dinâmica apreciável. PARABÉNS ACCCRO.  

quarta-feira, 10 de novembro de 2021

O Casino das Caldas

Há mais de meio seculo as noites caldenses eram bem animadas, isto porque o movimento termal era um polo de desenvolvimento da região.
O Casino do Parque teve períodos de glória no primeiro quarto do século XX, quando as Caldas, por via das Termas, era ponto de paragem da classe mais bem instalada na vida.
Com os anos, o edifício, que se situa no interior do Parque D. Carlos I, foi-se degradando. Depois de 1975, sofreu algumas obras de remodelação e passou a denominar-se Casa da Cultura. Nos anos noventa, iniciou-se um projecto de remodelação “megalómano” que teve como resultado a morte do edifício, que hoje se resume ao céu de vidro.
Fica aqui como recordação um cartaz, datado dos anos sessenta, de um espectáculo que era abrilhantado por um dos maiores “Entertainers” do panorama Nacional: Max, um Madeirense de gema.






quarta-feira, 3 de novembro de 2021

Os arrozais de Óbidos

 O Dr. Mário Tavares é um estudioso dos assuntos sobre a nossa região, e um dia destes teve a amabilidade de me oferecer um pequeno livro sobre a cultura do arroz nas várzeas de Óbidos e Caldas.um estudo elaborado para um Seminário de História do Mundo Rural.
Ficamos a saber que em 1854 eram extensos os campos de arroz nas várzeas de Óbidos que se estendiam até à Amoreira, e aos terrenos pantanosos da Lagoa de Óbidos.
Curiosa também é a animosidade que se instalou contra o “latifundiário” Faustino da Gama, que com a passagem dos bens que pertenciam à Casa das Rainhas para a Fazenda Nacional, fez com que Faustino da Gama, negociante da praça de Lisboa, entrasse, por aquisição, na posse da Várzea da Rainha, como da Quinta do Talvai, pertencente ao Hospital Real das Caldas.
 - “este entendeu que comprava o domínio pleno da dita 'Várgea, ou finge entende-lo assim e quer dispor dela a seu talante, já arrendando as porções que quer pelo preço e tempo que quer, e a quem lhe parece, cedendo os pastos comuns e recebendo renda deles, arrendando até as sanguessugas que se criam nos rios e valas e sustentando estas e outras prepotências e abusos por meio d'homens armados contra as reclamações e esforços que os Supp.es. empregam, para a manutenção das suas posses e antigos contratos e produzindo assim tais vexames e extorsões que podem levar os povos a atos de desesperação, que muito comprometerão o sossego deste Concelho”.
Alegadamente problemas de saúde publica devido aos arrozais, levaram a lutas intensas que culminou com abaixo assinado em 5 de Janeiro de 1859, no sentido da proibição absoluta da cultura do arroz neste concelho.
Em 1867 o Ministro das Obras Publicas, Andrade Corvo, decretou o fim dos arrozais.

domingo, 31 de outubro de 2021

Quem quer quentes e boas


Ao passar pelo "homem das castanhas" e comprei uma dúzia que estavam óptimas...pequenas, mas boas, já não vinham naquele cartucho feito das folhas das páginas amarelas, o que tira uma certa graça à "coisa", mas tudo bem.
Esta fotografia que "roubei" na Net serve às mil maravilhas para ilustrar o poema genial de Ary dos Santos, e que nesta altura do ano é incontornável.

Na Praça da Figueira,
ou no Jardim da Estrela,
num fogareiro aceso é que ele arde.
Ao canto do Outono, à esquina do Inverno,
o homem das castanhas é eterno.
Não tem eira nem beira, nem guarida,
e apregoa como um desafio.

É um cartucho pardo a sua vida,
e, se não mata a fome, mata o frio.
Um carro que se empurra,
um chapéu esburacado,
no peito uma castanha que não arde.
Tem a chuva nos olhos e tem o ar cansado
o homem que apregoa ao fim da tarde.
Ao pé dum candeeiro acaba o dia,
voz rouca com o travo da pobreza.
Apregoa pedaços de alegria,
e à noite vai dormir com a tristeza.

Quem quer quentes e boas, quentinhas?
A estalarem cinzentas, na brasa.
Quem quer quentes e boas, quentinhas?
Quem compra leva mais calor p'ra casa.

A mágoa que transporta a miséria ambulante,
passeia na cidade o dia inteiro.
É como se empurrasse o Outono diante;
é como se empurrasse o nevoeiro.
Quem sabe a desventura do seu fado?
Quem olha para o homem das castanhas?
Nunca ninguém pensou que ali ao lado
ardem no fogareiro dores tamanhas.

Quem quer quentes e boas, quentinhas?
A estalarem cinzentas, na brasa.
Quem quer quentes e boas, quentinhas?
Quem compra leva mais amor p'ra casa.

 Ary dos Santos


sábado, 23 de outubro de 2021

O Jazz anda por aí

Nós adoramos dizer que “nas Caldas não acontece nada”, e na maioria das vezes o que acontece é que não nos damos ao trabalho de procurar informação e por isso muitas actividades passam-nos ao lado.
Vem isto a propósito do “Caldas Nice Jazz” que acontece nas Caldas nos meses de Outubro e Novembro, bem sei que o Jazz não é um estilo musical de aceitação imediata, mas experimentem porque se aprende a gostar ouvindo, e a musica anda por aí, como foi o caso desta manhã no terminal da Rodoviária, onde a Sociedade Filarmónica Catarinense, alegrou-nos a manhã.




domingo, 17 de outubro de 2021

A “Pandilha voltou à carga”

Os últimos dois anos, não permitiram fazer uma das coisas que me dá muito prazer, estar com amigos, isto claro numas boas almoçaradas, devidamente regadas.
Pois bem as vacinas devolveram-nos a liberdade de poder voltar a conviver, e antes que o inverno traga por aí outra variante qualquer, a minha malta do “MFA” reuniu-se no Casal da Eira Branca, ali nos Infantes, para uma tarde muito bem passada com a orientação do simpático casal Jacinto Gameiro e Cila.
Já tinha saudades destes convívios, esta malta é do melhor, por isso é que eu digo que os amigos não têm prazo de validade.


sábado, 9 de outubro de 2021

Desfile etnográfico

Este Sábado a cidade assistiu ao desfile etnográfico abrilhantado por grupos de gaiteiros e concertinas que com o seu colorido dos trajes e o rufar de tambores deram à cidade um ambiente de festa muito bom.
Acho que estas iniciativas são de grande importância para as colectividades, é uma oportunidade de mostrar o seu trabalho de recolha sobre os costumes e tradições, bem como das modas e cantares
Por mim gosto disto, torna a cidade com alma e com “gente lá dentro”.














   

sábado, 2 de outubro de 2021

A criatividade dos alunos da Bordalo

No Domingo passado estive na “Minha Escola” Rafael Bordalo Pinheiro, na qualidade de delegado das mesas de voto, e tive oportunidade de apreciar uns desenhos de alunos sobre a figura e obra do Mestre Bordalo.
Pela amostra podemos concluir que realmente que a arte e a criatividade andam de mãos dadas pelos corredores da Escola mais antiga da cidade, e aquela ideia de designar “Caldas da Rainha cidade das artes” faz todo o sentido.
Pela parte que me toca, adorei, porque aquela escola será sempre “A MINHA ESCOLA”.















segunda-feira, 27 de setembro de 2021

Vamos lá então mudar

O processo eleitoral chegou ao fim com uma vitória história para o VAMOS MUDAR, contra as previsões dos mais céticos, o Vitor Marques é o novo Presidente da C.M. Caldas da Rainha.
Pela parte que me toca foi um privilégio ter participado e conhecido melhor um grupo de pessoas fantásticas, onde a competência de uns, misturada com a irreverência de outros, fizeram deste movimento uma pedrada no charco.
O caminho não vai ser fácil, porque a “estrada está minada”, mas as capacidades de liderança do Vitor Marques, do Joaquim Beato e da Conceição Henriques, vão demonstrar que a Câmara de Caldas da Rainha está em boas mãos.
Voltando às eleições causa-me alguma estranheza como é que há pessoas que preferem não votar e deixar que os outros tomem decisões que tem impacto directo nas suas vidas, será que sabem que houve pessoas que lutaram e morreram para alcançar o direito ao voto?
Para mim o voto continua a se “A arma do povo” e desde de “Abril” que não falho a um acto eleitoral.
Pode-se questionar e apontar alguns defeitos ao processo eleitoral, mas a Democracia não sendo perfeita, é o melhor regime que se conhece, por isso hoje dou os Parabéns a todos os Caldenses que se envolveram nesta disputa autárquica, e que certamente gostarão tanto na nossa cidade como eu. 

  

sexta-feira, 17 de setembro de 2021

Gente de confiança

Nestas eleições Autárquicas de 26 de Setembro, o voto no Movimento VAMOS MUDAR irá eleger gente de confiança, comprometida com a democracia e com o desenvolvimento de uma politica de proximidade para todos os cidadãos visando incrementar o desenvolvimento do concelho de Caldas da Rainha.
Esta é altura para mudar, contamos contigo. Dia 26 vota VAMOS MUDAR


Morreu Clive Sinclair, “Pai” do Spectrum

A minha geração conhece bem o “ZX Spectrum” que na década de oitenta tornou os computadores numa máquina popular.
Dizia Clive Sinclair “…queria fazer coisas pequenas e baratas para que mais pessoas tivessem acesso” e consegui, para se ter uma ideia do sucesso destas máquinas, na altura a Electro Lider vendeu mais de 600 computadores da família Spectrum.
Sir Clive Sinclair foi um homem que não parava de inventar coisas, umas mais bem sucedidas do que outras, mas foi assim até ao fim da vida que aconteceu nesta quinta feira, tinha há 81 anos.